Breve histórico VTS

Breve histórico VTS

O primeiro radar de vigilância do porto do mundo foi inaugurado em Liverpool, Inglaterra, em julho de 1948 e, em março de 1950, um sistema de vigilância radar foi estabelecido em Long Beach, Califórnia – o primeiro sistema deste tipo nos Estados Unidos da América. A capacidade da autoridade costeira para manter o controle de tráfego marítimo por radar, combinada com a facilidade de transmitir mensagens sobre navegação para os navios, por rádio, constituíram os primeiros sistemas formais VTS do mundo.

O valor do VTS para a segurança da navegação foi reconhecido primeiramente pelo Organização Marítima Internacional (IMO) na Resolução A.158 (ES.IV), adotada em 1968, mas como a tecnologia e equipamentos para rastrear e monitorar o tráfego marítimo tornou-se mais sofisticada, tornou-se necessário emitir orientações claras sobre padronização de procedimentos na criação de VTS. Em particular, tornou-se evidente que havia uma necessidade de esclarecer quando um VTS pode ser estabelecido e para acalmar os receios em alguns setores de que um VTS poderia invadir a responsabilidade do Comandante do navio para navegação de sua unidade.

Como resultado, em 1985, a resolução A.578 da IMO adotou catorze (14) Diretrizes para os Serviços de Tráfego. Neste documento, foi estabelecido que VTS seriam particularmente apropriados nas proximidades e canais de acesso de um porto, e em áreas com alta densidade de tráfego, movimentos de cargas perigosas, dificuldades de navegação, canais estreitos, ou cercanias de áreas ambientais protegidas. As orientações também deixaram claro que as decisões no domínio da navegação eficaz e as manobras da embarcação permaneceram com o comandante do navio. As orientações também destacaram a importância da praticagem em um VTS e os procedimentos de notificação para os navios que passam em uma área de operação de VTS.

Fonte: http://www.imo.org/en/OurWork/Safety/Navigation/Pages/VesselTrafficServices.aspx